AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013

AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013
TRAZIDA DA ILHA DA SEREIA - LINDALVA

Palavras



........


AMIZADES

Como é bom e reconfortante falar de amizade!

As amizades são construídas aos poucos, como os minutos do
tempo que não pára, em cada coração.
As amizades nascem com um gesto, um olhar, uma busca de
afinidades, de risos e lágrimas, se sabores e dores, de várias
cumplicidades.
Há aquelas que se comunicam em silêncios lânguidos,
compreendidos nos olhares atentos.
Amizades profundas, nascem por vezes duma discussão acesa,
por causas, depois julgadas fúteis, em que essas coisas inúteis,
se tornam úteis, porque fizeram aflorar e consolidar uma sólida
amizade.
Há ainda aquelas que caminham lada a lado desde os bancos da
escola. As que aparecem e crescem do time que disputa a mesma
bola...
A palavra do amigo, o ombro dado com carinho, é remédio mais
que eficaz contra a tristeza e desilusão.
Nunca é tempo perdido, aquele que se gasta com um amigo.
É tempo recompensado, aproveitado, enriquecido, vivido, abençoado.
As lembranças amigas que o tempo não apaga em cada ausência,
por vezes forçada, mas tão presente no coração da verdadeira
amizade, que chora ou ri com a saudade, mas está sempre
presente no coração e na alma da gente.

By@
Anna D’Castro
(D.A.Reservados)
Do livro de pensamentos:
”Memórias dum Pensador”

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
........



Na curva longa da estrada,

está um rosto doce, porém ambíguo,

que espera pacientemente,

a chegada de mais uma notícia,

que ficou presa por entre a poeira

das grades do portão,

na curva dum outro caminho...


By@
Anna D’Castro

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

........









*PALAVRAS DE SABEDORIA*

Um empresário-agricultor, de pouco estudo, participava todos os anos da principal feira de agricultura da sua cidade.
O que acontecia de mais extraordinário é que ele sempre ganhava, ano após ano, o troféu: MILHO DO ANO.
Entrava com seu milho na feira e saía com a faixa azul recobrindo seu peito.
O seu milho era sempre e cada vez o melhor.
Em uma ocasião dessas, um repórter do jornal local, abordou o empresário após a tradicional colocação da faixa de campeão.
Ele ficara muito intrigado com a revelação do empresário de como ele costumava cultivar o seu qualificado e valioso produto.
O repórter descobriu que o fazendeiro compartilhava boa parte das melhores sementes da sua plantação de milho com os seus vizinhos.

– Como pode o senhor compartilhar as suas melhores sementes com seus vizinhos, quando eles estão competindo diretamente com o senhor?

O fazendeiro respondeu:

– Você não sabe?... É muito simples.
O vento apanha o pólen do milho maduro e o leva de campo para campo.
Se os meus vizinhos cultivarem milho inferior ao meu, a polinização degradará continuamente a qualidade do meu milho.
Se eu quiser cultivar milho bom, eu tenho que ajudá-los a cultivar o melhor milho, cedendo a eles as melhores sementes.

= Estas foram 'Palavras de Sabedoria' =

*MORAL DA HISTÓRIA*

Aqueles que escolhem estar em paz, devem fazer com que seus vizinhos estejam também em paz.

Aqueles que querem viver bem têm que ajudar aos outros, para que vivam bem.

Aqueles que querem ser felizes têm de ajudar os outros, a encontrar a felicidade, pois o bem-estar de cada um está ligado ao bem-estar de todos.

Você já parou para pensar que, todos nós somos importantes uns para os outros e que, para vivermos bem, nós dependemos uns dos outros?

="Para lidar consigo mesmo,
use a cabeça"...

="Para lidar com os outros,
use o coração".






Fontes de Sabedoria:
‘Soprogramas’ e
'Atitude Cristã'
Transcrito das fontes e
adaptado
By@
Anna D'Castro

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

......



Ao Semear Palavras me desnudo em frases psico-elaboradas e encontro em cada canto um certo encanto que me seduz...

Um sorriso perfumado, um olhar inspirado, atraente, andante, pensante, contraditório com a melancólica miopia ao seu redor...

Mas eis senão quando, aparecem saltitantes palavras pequenas, que logo se transformam em puros dilemas pensantes e com astúcia de mestre arquiteto-pensador as dispõem em projetos falantes, arquitetando poemas (in)convencionais...

Ah, que delícia olhar ao redor e sem querer, tropeçar com um outro olhar coberto de orvalho verde... verdinho, límpido e cristalino...

Na dura estrada da vida sou palhaço-poeta-pensante... às vezes delirante e duvidosa, mas que ainda acredita na força das pequenas palavras... dos pequenos gestos... das graciosas gentilezas...nas pequenas grandes coisas... porque a magia, normalmente acontece em curtas viagens... em breves miragens de oásis perfumados.

E o amor?... como é que fica o AMOR numa hora destas?

Ah o Amor... ele está 'acolá' naquela esquina de olhar nunca percebido... Por detrás da porta de vidro duma loja de grifes masculinas, misturado com tantos apetites vorazes, ou com olhares mordazes interceptando a ação de conquista...

A minha insensatez, mista vontade secreta, seria dizer que sempre te amei... que és minha 'Alma Gêmea'... aquela alma por quem sempre esperei a vida toda... hummm...??? mas para além da insensatez-vontade existe um mal bem maior que acovarda qualquer um e se chama: TIMIDEZ! A eterna desculpa para uma porção de coisas não realizadas... atrás desse véu de incompetência me escondi para não enfrentar rejeições...

Como é bem verdade a letra da canção: "... quem eu quero não me quer... quem me quer mandei embora... e agora já não sei por quem será que choro agora..."

Mas chorar não choro, cansei de desperdiçar cristais lacrimais à toa... desafio o acaso para ser testemunha das minhas confissões - não de adolescente - mas de SER inconsequente e mal acostumada com a sonolência das resoluções problemáticas ou emblemáticas... sei lá!... e... quando a tristeza me invade... canto um Fado!
FADO!...Essa canção destino dos problemáticos saudosistas do mundo melhor... sem aquecimento global nem poluição destruidora dos neurônios pensantes que por aí andam gravitando, esperando um splash milagroso que livre todo o mundo dos males que assolam o resto que sobrou da humanidade.

E mesmo que na busca do amor surreal dê alguma topada numa pedra ou num edifício de cinquenta andares, isso faz parte da existência inconformada dos que já esperam encontrar empecilhos no 'seu' caminho real...

Sonhar com um beijo real, já faz parte do virtual universo contemporâneo... é uma parte da paisagem cósmica dos sentidos...

Nas entrelinhas das palavras existe além do real e do virtual, o surreal: 'Alimento' da alma dos poetas... que se nirvaneam com as quietudes perpétuas das embriagadoras palavras pequenas... palavras apenas ou as penas das pequenas palavras, que depois de semeadas alimentam e destilam sabedoria por todos os poros...


by@
Anna D'Castro
'em Caderno de Ironias Recalcadas'
(D.A.Res.)
******
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.........



"O TEMPO! É O GRANDE MESTRE DE TODOS OS TEMPOS..."

Um dia o 'TEMPO' perguntou ao "TEMPO":

- "TEMPO", quanto 'TEMPO' o "TEMPO" tem?

O "TEMPO" respondeu ao 'TEMPO':

- O "TEMPO" tem tanto 'TEMPO', quanto 'TEMPO', o "TEMPO" tem!...

***
'Trocadilho do Cancioneiro Popular'...

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

..........



Palavras escritas e lidas
Com entonação tão potente
Palavras, somente palavras
Que nos ensinam a ser gente!

By@
Anna D'Castro
(D.Reservados)

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

........




Se eu falar do que sinto
O céu, a lua e as estrelas
Ficarão cheios da minha dor.
Uma brisa começou soprando suave,
Mas se esfumou, como um fantasma.
Meu passado foi sofrimento.
O presente está derivando ao vento.
O futuro? Mera interrogação.
Se eu falar do que sinto,
As palavras se trancam em boca calada.
As lágrimas teimam em inundar
Os olhos, que apenas deveriam
Intensamente fitar.
Meu coração esperançado,
Está ficando amordaçado,
Não aguenta tanto sofrer.
Quisera poder parar de tanto amar
Mas as palavras se atropelam a correr.
Se eu falar do meu sentir
Só o Amor me alimenta e me faz sorrir.

By@
Anna D'Castro
(D.A.Reservados)

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Almada e Lisboa... as duas belas cidades beijadas pelo Tejo

Loading...

José Saramago - O Nóbel da Literatura Portuguesa

"PALAVRAS PEQUENAS... PALAVRAS APENAS..."

Ando por aí querendo te encontrar... Em cada esquina paro em cada olhar... Deixo a tristeza... Trago a esperança em seu lugar... Que o nosso amor para sempre VIVA... Minha dádiva quero poder jurar... Que essa paixão jamais será... Palavras Apenas... Palavras Pequenas... Palavras de Momento... Palavras ao Vento!... "Cassia Eller"

AGRADEÇO A SUA VISITA À *SEMENTEIRA DE PALAVRAS*...


11.gif

...VOLTE SEMPRE... DE CORAÇÃO!