AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013

AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013
TRAZIDA DA ILHA DA SEREIA - LINDALVA

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

SAUDADES



A saudade é uma aquarela
De cores irisantes...
Que pinta amarela
A cor da minha janela.

Saudade é uma ausência de silêncio... a lembrança do que ficou para trás.

A Saudade que dói e machuca... queima o pensamento e trás recordações de um passado magoado... Duma vida que se quer esquecer... de momentos que ficaram debaixo dos contornos das sombras do tempo e que ficou travado no peito... e das horas que teimam em passar...

A saudade que me habita se aninha em meu coração, a voz fica presa na garganta e há um desencanto que se quebra dentro de mim.

Passa o tempo... remenda-se o pensamento, mas a tristeza é uma imagem vazia refletida num espelho quebrado... que vai gritando ao vento, o eterno lamento das minhas eternas lembranças... as negras mágoas que pairam nas noites sofridas com sonhos e pesadelos e os fantasmas dum passado remoto que inundam as paredes de vidro do meu quarto... nuas... vazias... escuras e silenciosas... os olhos esvaziam-se de tudo... a ausência de sentimentos martiriza a solidão... 

Quantos lugares de sonho, hoje vazios... que ficaram para trás. Quantas pedras arremessadas que feriram e ferem minha alma... quantas lágrimas de sangue escritas no silêncio das noites insones... quanta saudade me anoitece e quanta revolta vai crescendo dentro de mim...

Ter de partir e deixar o que se ama por injustas acusações é um duro fardo que se carrega sem compreender o porquê da injustiça dos homens... o porquê das pedras do caminho... o porquê dos segredos guardados nas lágrimas amargas... o porquê dos medos nas noites de tempestade... o porquê do pânico dos raios que se rasgam no firmamento da minha angústia... quando minha voz se cala e meu corpo estremece agonizante...

Ah, como me dói o passado... a vida... a solidão dos dias sombrios... as mágoas que vão envelhecendo dentro de mim e escorrendo nas lágrimas que sangram e se transformam  em rugas sem futuro... sem viço e sem esperança... 

A saudade é uma luta incansável contra a partida... um barco á deriva num destino incerto... uma lacuna em céu aberto... uma doce lembrança da felicidade que um dia foi sonho que se idealizou... mas que algum dia sequer se concretizou.

By@
Anna D’Castro


Creative Commons License
 Todos Direitos Reservados
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

2 comentários:

Dorli disse...

Oi Anna,
A saudade sói e machuca o coração.
É uma pena que tenho que lhe dizer que parei com meu blog e tem uma despedida para todos vocês, se quiser ler a poesia que fiz para os amigos é só clica no link embaixo do Banner Vendedor de ilusão.
Qualquer coisa tenho e-mail no blog.
Beijos
Lua Singular

Dorli disse...

Oi Anna,
A partir de amanhã estarei no face para me distrair.
Lá podemos conversar.
Obrigada pelo carinho
Beijos
Lua Singular

Almada e Lisboa... as duas belas cidades beijadas pelo Tejo

Loading...

José Saramago - O Nóbel da Literatura Portuguesa

"PALAVRAS PEQUENAS... PALAVRAS APENAS..."

Ando por aí querendo te encontrar... Em cada esquina paro em cada olhar... Deixo a tristeza... Trago a esperança em seu lugar... Que o nosso amor para sempre VIVA... Minha dádiva quero poder jurar... Que essa paixão jamais será... Palavras Apenas... Palavras Pequenas... Palavras de Momento... Palavras ao Vento!... "Cassia Eller"

AGRADEÇO A SUA VISITA À *SEMENTEIRA DE PALAVRAS*...


11.gif

...VOLTE SEMPRE... DE CORAÇÃO!