AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013

AS PALAVRAS COLABORAM COM A VELA DA PAZ - 2013
TRAZIDA DA ILHA DA SEREIA - LINDALVA

domingo, 28 de setembro de 2014

ESTA DOR

ESTA DOR...

- Ah como dói esta dor calada! Como me dilacera os sentidos! Esta dor que acompanha meu corpo e tira meu espaço... é feita de sofrimentos e cansaços... e tolhe meus sonhos e meus passos... e me maltrata com rejeições e incompreensões... e vive aprisionada num Castelo de torres e masmorras... sem ameias nem frestas... só grades... algemas... grilhões...

- Esta dor é negra... vazia... profunda... mora num poço sem água... sem ar... sem fundo...

- Há na minha dor uma terrível ausência de abraços... só passos vacilantes... armadilhas e cansaços...

- A dor e o sofrimento habitam em conventos fechados... sem luz... sem calor... só claustros abissais e gelados...

- Esta dor se confunde com o cântico negro de tempestades atrozes... vai acompanhando o voo dilacerante de albatrozes... quando tentam alcançar suas presas...

- Esta dor é uma sombra negra envolta num lençol de amarguras... sombra da minha sombra... que me acompanha através das teias do tempo... uma mordaça que aprisiona qualquer sentimento...

- Esta dor é um lamento irônico que se desprende do silêncio de todas as lágrimas... um vasto caudal de lágrimas amargas, derramadas nas pedras do caminho repleto de espinhos e mágoas...

- Esta dor me deixa louca... me rasga inteira... me esgarça a angústia das noites vazias... me chicoteia na incerta escuridão dos dias sem sol... me deixa agonizante no delírio dos sonhos desfeitos e na ingratidão dos desencantos...

- Esta dor vai-se esvaecendo pelas madrugadas com o bater das horas do tempo que passa... vai corroendo as entranhas da vida que se vai esgotando aos poucos e arrancando vários pedaços que ainda restam de mim...


- Ah... Meu Deus... como dói o silêncio desta minha dor!!!

By@
Anna D'Castro



Creative Commons License
 Todos Direitos Reservados
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Nenhum comentário:

Almada e Lisboa... as duas belas cidades beijadas pelo Tejo

Loading...

José Saramago - O Nóbel da Literatura Portuguesa

"PALAVRAS PEQUENAS... PALAVRAS APENAS..."

Ando por aí querendo te encontrar... Em cada esquina paro em cada olhar... Deixo a tristeza... Trago a esperança em seu lugar... Que o nosso amor para sempre VIVA... Minha dádiva quero poder jurar... Que essa paixão jamais será... Palavras Apenas... Palavras Pequenas... Palavras de Momento... Palavras ao Vento!... "Cassia Eller"

AGRADEÇO A SUA VISITA À *SEMENTEIRA DE PALAVRAS*...


11.gif

...VOLTE SEMPRE... DE CORAÇÃO!